DA BESTE OF

Este blog é um "Best Of" do que foi publicado originalmente no Citizen Zuko. (www.citizenzuko.bogs.sapo.pt)

A minha foto
Nome:
Localização: Portugal

The One and Only

Free Hit Counters
Counter

Powered by Blogger


referer referrer referers referrers http_referer

sexta-feira, agosto 12, 2005

A Febre de Sexta à Noite


Take One
20h nas docas.
Tinha prometido á organizadora do meu jantar de despedida que eu iria chegar um pouco mais tarde para já lá estar toda a gente e poder fazer uma entrada triunfal . Pensei em chegar aos ombros de dois culturistas e com umas patinadoras de biquini , a espalhar pétalas de rosa, mas a essas horas os ginásios ainda não fecharam e as patinadoras tiveram frio. Ingratas!
Por isso estava reduzido a fazer horas com uma revista e um aperitivo no Docas Café.
A dada altura começo a reparar numa conversa que vinha da mesa atrás de mim. (A revista não era muito interessante e eu também sou um bocado de cusco, principalmente quando não tenho nada que fazer) Um casal que até então mantinha uma conversa profissional, tinha começado a fazer ligeiramente uma inflexão na conversa…Isto está a ficar interessante…
Subtilmente ele, que continuava a monopolizar a conversa, tinha deixado as velocidades de processamento e as bandas largas, para começar a falar de si, de como era uma pessoa com sorte, de como ganhava bem, dos 3 empregos que teve no ultimo ano, do ginásio a que ia, do facto de se sentir jovem (clássico!!!)… Olha, olha… O Lobo Mau a deixar cair a pele de cordeirinho.
Não resisti! Tive de olhar para trás. A fingir que procurava o empregado, voltei-me e tirei uma foto mental. O que é que eu vi? Ela, novinha, ai com 20 e tal anos, falsa loura com ar de crédula, olhos muito abertos e, apesar do calça- casaco preto que vestia, tive a impressão de lhe ver um Capuchinho Vermelho… Ele era um Gajo do Gel típico!
Já todos devem ter visto Gajos do Gel. Aparecem á noite nos sítios da moda, sentados em carros que é suposto engatar as miúdas que não se deixam cair no seu discurso “Eu sou muita bom!”. Frequentemente de blusão de couro para lhes dar um toque de falsa juventude, o seu traço característico é a cabeleira mais ou menos farta domada a litradas de gel. Geralmente entre os 35 – 55, eventualmente casados e com filhos, mas na grande maioria divorciados. É normal que sejam divorciados. Ninguém no seu perfeito juízo aguenta tanto egoísmo durante muito tempo se tiver dois dedos de testa. Com bons empregos dos que pagam muito por fazer nada, mas que permitem fazer de conta que são muito intensos e stressantes, porque é bem ser-se stressado, rondam a noite á procura de carne fresca para saciar a sua fome. Advogados, gestores, economistas ou simplesmente “bem”. No fundo são a versão endinheirada do Homem do Medalhão. Igualmente broncos, mas com dinheiro.
E este Gajo do Gel estava com sorte ou não? Sinceramente não deu para perceber pela cara dela, talvez por ainda estarmos no principio da noite… É que o Gajo do Gel, como é bronco e não sabe despertar o interesse de uma mulher antes de um encontro, tem que as vencer pelo cansaço e pela bebida e a noite ainda estava no inicio, mas diria que ao aceitar ter um “jantar de negócios” numa sexta á noite com um Gajo do Gel, é brincar com o fogo.

Take Two
23H Cosmo Café
O comida cumpriu a sua função de ser papada, mas mais nada. O ambiente estava giro, cheio de antecipações no ar. Uma cliente brincava com um dos empregados (ás custas de uma das nossas pizas)
Ao fundo, uma festa de anos de miúdos (mas miúdos, mesmo! Deviam ter todos 15 anos!) com uma horda de pitinhas assanhadas – mas porque é que quando tinha 15 anos não havia disto! Alguns casais de namorados/ potenciais/amigos/ e a nossa mesa com 28 coleguinhas. Lá recebi o meu bye-bye pack que é um saco de praia cheio dos brindes inúteis.
Depois começou o habitual e loooooogo processo de decisão para ver onde íamos a seguir. Não tenho pachorra para este tipo de coisas! Assentamos no Budha, que é ali ao lado e como eu estava de fato acharam que tínhamos hipóteses de entrar, para alem de haver 2 mulheres para cada homem.
Entretanto e por causa da festa dos miúdos, as coleginhas da minha equipa começaram a recordar quando á 10 anos atrás começaram a sair á noite e chegamos á conclusão que andámos pelos mesmos sítios. Elas com 17-18 anos na altura, eu com 29 – 30. A propósito desta diferença de idades contei-lhe um episódio que se passou comigo nessa altura. Como nota prévia e antes de correr o flashback, deixem-me só dizer que eu, entre os 24 e os 30anos, nos verões, fui monitor de campos de férias.
Também não entrámos no Buhda, apesar de ter dito á porteira que a minha gravata era linda, e dai saltamos para o BBC.

Take Three
Flashback
Noite de verão. Bar Bairro Alto. Algures no inicio dos anos 90
Entro com um grupo de amigos (até creio que era a continuação da festa de anos de um deles) e como estava aflito vou direito á casa de banho. Para quem se lembra do Bairro Alto, o bar ficava á direita de quem entra e as casas de banho são em frente. No caminho passava-se por 2 ou 3 mesas. Numa delas estão 2 casais novinhos e quando passo reparo que uma das raparigas segue-me com o olhar. Não liguei. Depois quando sai e foi ter com o pessoal que estava no bar, a cena repetiu-se. Desta vez já liguei e comecei a “folhar”o arquivo mental de caras para ver se a conhecia. No Liceu não era... do antigo emprego também não... No curso? Naaa... éramos só um 50. Só se fosse de Design, mas nunca me dei muito com eles...Não conheço mesmo a moça!
Estava a falar com o Jorge (devia ser acerca de paintball... A influência do closed bolt na trajectória das bolas, ou coisa que o valha...) quando a dita mocinha se levanta e vem ai, a olhar para mim. O Jorge pára de falar, eu agradeço a Deus, pela dádiva daquela menina bronzeada, de cai-cai perto e mini saia assassina, que vinha ai direitinha a mim, ao mesmo tempo que me preparo para dizer qualquer coisa. Mas foi ela a primeira a falar...
- Tu é que és o Zuco?
Pelo canto do olho vejo a cara do Jorge a dizer: “Ela conhece-te?????” Eu estava completamente parvo! Só consegui dizer:
- Sou...
- Não te lembras me mim?...
Mas é que não me lembrava MESMO! Aliás se a conhecesse era impossível não me lembrar dela! Mais! Gostaria mesmo muito de me poder lembrar dela! Mas tive de dizer:
- Não...
- Sou a Carla... do campo de férias...
E ai fez-se luz! A Carla... que tinha 12 ou 13 anos e que agora estava ali com 18 ou 19...
- Háaaa... A Carla... Pois é... Cresceste...
O Jorge virou-se para o outro lado a rir.
Fim de flashback.
... Bem, quando acabarem de rir podemos seguir para o

Take four
“Uma da manhã. Ei!” - Doce
BBC
Uau! Isto está uma loucura! O sanbodromo ao pé disto é uma monotonia. Mas que grande festa! O pessoal dança tão depressa que parece que está parado. Não não está! É ilusão. Esta musica tremenda está a levar toda a gente ao limiar da loucura. Daqui a bocado o pessoal que está sentado a fazer de conta que está chateado deve pôr-se ao pulos em cima das mesas. E os betos que ocupam o centro da pista devem dançar como possessos a avaliar pela maneira como estavam a guardar energias para mais tarde.
Como queríamos MESMO dançar decidimos ir ao Indochina. É giro que a cada mudança metade do grupo fica ou vai para casa. Também aqui, mesmo depois da confusão de quem vai e não vai e quem leva quem e aonde estar terminada ainda demoramos uma boa hora a conseguir sair dali.
Á saída a “animação” continuava como a encontramos.

Take five
0200H – Indochina.
“ Saigon… Í’ still in Saigon…” (Isto não tem nada a haver com o resto, a não ser a frase inicial de um grande filme)
Por esta altura já só éramos 4. Eu e mais 3 colegas. Esta coisa de andar a saltar capelinhas faz lembrar a selecção natural. Só os mais doidos sobrevivem.
Aqui sempre estava mais animado. O alinhamento das musicas era quase cópia do da Cidade FM, mas seria melhor que fosse MESMO cópia ( Será que a idade nos torna mais exigentes?) Mas dava para dançar.
Entre duas voltas para controlar as nossa coisas que estavam empilhadas num sofá, reparo num Homem do Medalhão a galar uma das minhas colegas á força toda. A dançar por detrás , como não quer a coisa, depois passa para a frente dela...
Também já devem ter visto um Homem do Medalhão.
É outro predador da noite. Geralmente com algum físico e com gosto de o mostrar com a sua camisa aberta até ao umbigo, o Homem do Medalhão patrulha os sítios de segunda ou terceira escolha; seja por não poder entrar nos de primeira, como gostaria, mas diz que não entra porque não quer; seja porque aqui lhe são mais acessíveis as mulheres, também elas a sublimar o sonho de apanharem/ serem apanhadas por um Gajo do Gel. Só que aqui não há Gajos do Gel, porque estão todos nos sítios In, a menos que se trate de um falso ou muito desesperado; por isso o Homem do Medalhão tem saída. Também entre os 30 – 50, também eventualmente divorciado. E onde havia quadros nos Gajos de Gel, aqui há operários e técnicos. Moram quase todos nos concelhos de Amadora, Loures, Vila Franca, na parte longe do mar de Oeiras e Cascais e na parte baixa de Sintra. Nem conseguem dizer “ Mim Tarzan, tu Jane.” porque isso séria uma citação de um livro, e livros não é o forte do Homem do Medalhão. Forte mesmo é o peito peludo decorado pelo medalhão que lhe dá o nome. Agora no inverno a camisa está fechada, mas não é por isso que se é menos Homem do Medalhão.
Ora este HM reparou que eu estava com ela e ficou sem saber o que fazer...Quem seria eu? Seria o marido? O amante? O amigo? O chulo? E as outras duas? Hum.... devia ser o chulo...Não... Não tem pinta de chulo...
Eu também fiquei sem saber o que fazer. A primeira ideia foi “enxotar” o tipo, que ela é casada. Mas o que é que eu sei da vida dela?... Ela que decida, que já é crescidinha. Se precisar de ajuda ela diz que nós estamos cá para isso. E virei as costas a um HM completamente confuso...

Take Six
0400h
Saímos do Indochina, ficamos ali á porta um bocadinho a despedir-nos (muito provavelmente é a ultima vez que nos vemos...) a falar alto por causa dos ouvidos entupidos. Depois dos beijos ficamos ali um instante em silencio, até que alguém disse:
- Bem, então adeus...
Separamo-nos sem olhar para trás...

5 Comments:

Blogger trintapermanente said...

faltou-te o meco. aí sim a febre foi grande :) obrigada pelos parabens

8:04 da manhã  
Blogger inconfidente said...

Gajo??? outro blog??? fiquei baralhada!

9:16 da manhã  
Blogger ZUKO said...

P/TRINTAPERMANENTE: Oloais taque gude febres!

11:10 da manhã  
Blogger ZUKO said...

P/INCONFIDENTE: Este blog é só para pôr os melhores textos do Citizen. É uma especie de arquivo. Uma cinemateca, se quiseres.

11:12 da manhã  
Blogger Alien David Sousa said...

Eu faço greve e a casa muda de nome!:)
Sabes que mais. Li os teus Takes e sorri. Sim tanto o homem do gel como o do medalhão são cromos conhecidos.No entanto, não penses que as meninas de 20 aninhos de hoje, são tão ingenuas com eram as de à uns dez anos atrás.Muitas percebem o jogo e alinham.

Quanto à noite, Yep, andaram pelas capelinhas todas aterrando no Indochina. Deves conhecer lá alguém porque esses gajos estão sempre de mau humor, das 2 vezes, que tentei entrar. Falal de um tal cartão mágico que nos dá poder para frequentar o dito cujo. Eu como ando sempre a meter o nariz em tudo, pensei logo que se tratava de um local onde os Aliens do Mal se encontram. O que me leva a uma pergunta:
ZUKO!! QUE RAIO TE PASSOU PELA CABEÇA PARA IRES PARA O INDOCHINA?!?
Fica bem

1:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home